CachorrosGatos

Eutanásia em cães e gatos: quando é necessário?

Eutanásia em cães e gatos, você sabe quando é necessário? abaixo relatamos alguns fatos para te ajudar nesse momento difícil.

O que é a eutanásia?

A palavra tem origem grega e significa boa morte ou morte sem sofrimento, que é exatamente o objetivo do procedimento, proporcionar uma morte mais rápida e indolor aos cãezinhos que estão sofrendo.

“Devo sacrificar meu cachorro?”

Essa é uma pergunta que infelizmente muitas pessoas acabam fazendo mais cedo ou mais tarde.

Ver o sofrimento do animal é muito doloroso e muitos veterinários acabam aconselhando a eutanásia. Se você está pensando em sacrificar seu cão, não se culpe.

Mas cuidado, alguns veterinários aconselham eutanásia para coisas totalmente contornáveis, como por exemplo, a paralisia dos membros traseiros.

Não é porque um cão ficou paraplégico que ele não pode viver uma vida normal em uma cadeirinha de rodas. Muitos cães vivem! A eutanásia é para casos extremos.

Se a eutanásia é proibida para seres humanos, porque então ela é permitida para os animais? É justo tirar a vida de um ser? Essa é uma questão muito polêmica e muitos tem opiniões contraditórias.

Só é possível saber o que faríamos se estivesses frente a frente com a tomada dessa decisão. Não nos cabe julgar a decisão de alguém.

A decisão pela eutanásia (sacrificar o cachorro) não deve ser por causa de despesas médicas ou falta de tempo pra cuidar do animal.

A decisão deve ser tomada juntamente com o veterinário, que irá seguir critérios médicos, normalmente para casos irreversíveis onde é impossível a recuperação do animal.

Casos em que a eutanásia é considerada:

– o cachorro não movimenta mais nenhuma pata
– o animal tem ferimentos gravíssimos e de recuperação quase impossível
– o animal parou de fazer as necessidades fisiológicas, se alimentar e beber água
– câncer em estágio severo

O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) elaborou um guia de boas práticas para a eutanásia de animais, que leva em consideração o fato de que os animais são capazes de sentir, interpretar e responder a estímulos dolorosos e ao sofrimento.
Esse guia serve para orientar veterinários e donos de animais na tomada da decisão sobre a eutanásia e os métodos utilizados.

De acordo com o guia, a eutanásia será indicada quando:

1 – O bem-estar do animal estiver comprometido de forma irreversível, sem possibilidade de controle por analgésicos ou sedativos;

2 – A condição do animal for uma ameaça à saúde pública (se estiver com raiva, por exemplo)

3 – O animal doente colocar em risco outros animais ou o meio ambiente

4 – O animal for objeto de ensino ou pesquisa

5 – O animal representar custos incompatíveis com a atividade produtiva a que se destina (animais destinados ao consumo humano, por exemplo) ou com os recursos financeiros do proprietário (aí entra o caso das entidades protetoras ou hospitais veterinários).

Uma vez decidida a eutanásia:

O médico veterinário vai utilizar métodos que reduzam ao máximo a ansiedade, o medo e a dor do animal. O método também deverá gerar a perda imediata da consciência, seguida da morte.

Precisa ainda ser seguro o suficiente para garantir que o animal não sobrevive ao procedimento, o que causaria ainda mais dor e sofrimento.

Os métodos considerados aceitáveis pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária podem ser químicos ou físicos, de acordo com as características de cada espécie.

Para cães e gatos o método mais utilizado – e recomendado pelo Conselho – é a injeção de medicamentos que produzirão a falta de consciência e a morte de maneira rápida e segura.

Depois da eutanásia:

Você pode optar por cremar o corpinho do seu cão, deixa-lo em um cemitério para cães, enterrá-lo no seu quintal ou até mesmo deixa-lo na clínica.

Recomendamos que tome essa decisão antes da eutanásia e se possível leve um amigo para te ajudar nesse momento tão difícil.

Seja qual for a sua decisão, tenha sempre em mente que você fez o melhor que você pode para dar uma vida digna e feliz ao seu cachorro ou gato. 

Lembre-se: essa decisão tão importante só cabe a você e ninguém pode julgá-lo por isso.

Algumas pessoas acreditam que o melhor é acabar com o sofrimento do animal. Outras acham que a vida tem que ter seu curso e o animal deve morrer naturalmente.

Mas muitas pessoas não entendem a dor de perder um amigo de quatro patas, e não entendem esse amor tão puro que os cães possuem, portanto, queira por perto alguém compreensível e que possa te ajudar nesse momento.

Lembramos que toda a informação contida no site BichoZen têm fins meramente informativos e não deve ser considerada assessoria, diagnóstico ou tratamento médico.

Nunca deixe de consultar o médico veterinário por algo que você tenha lido neste site.

Curta nossa página no Facebook: BichoZenOficial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *